banner ad

Emiliano Ferreira da Costa: um homem a frente do seu tempo

| 02/09/2013 | 0 Comentários

 

Historiador Carlos Castro

Historiador Carlos Castro

Extraído da Revista Mandamentos nº 2 – A origem do nome é italiana, mas falo de um mossoroense que nasceu no dia 19 de maio de 1917 em Santana do Mato de Dentro, no Rio Grande do Norte. Filho do casal Casemiro Ferreira da Costa e Maria Ferreira da Costa, o pastor Emiliano Ferreira da Costa foi pai de cinco filhos do casamento com Josefa Alexandre Barbosa, conhecida como Lina. Ele faleceu aos 68 anos, quando ocupava a cadeira de presidente da Convenção das Assembleias de Deus no Estado do Ceará.

 

Os parentes do pioneiro tornaram-se presbiterianos independentes após receberem a visita do reverendo Manoel Francisco do Nascimento Machado, na residência do pai do pastor Emiliano. Ele tinha nove anos quando seu progenitor foi presenteado com uma bíblia para instruir a família no verdadeiro caminho, em 1926. Seis anos depois, veio ao Ceará e foi contratado para trabalhar no “Bolsão da Seca”, no ano de 1932. Inicialmente, prestou serviço na construção da rodovia BR-116, nas proximidades do município de Itaitinga. Em seguida, foi transferido para a BR-222, na localidade de Catuana, em Caucaia, onde acabou adoecendo da cruel febre tifóide. Foram dias sóbrios, mas a oração com fé venceu o prognóstico da Medicina. Após consultá-lo, o médico atestou que ele só teria mais três dias de vida. No entanto, o profissional de saúde não esperou para testemunhar um grande milagre. Em poucos dias, levantou-se do leito são e salvo, e já revigorado, caminhou por vários dias até a cidade de Condado, no estado da Paraíba, onde residiam seus familiares.

 

Em 1944, retorna novamente ao Ceará e se instala na localidade de Caracanga, distrito de Pacatuba. No ano seguinte, não resistiu ao chamado do Espírito Santo e passou a congregar-se na Assembleia de Deus, após ouvir o pastor José Freire de Alencar em uma pregação. Naqueles dias, a sede do campo que abrangia o lugarejo de Caracanga ficava em Fortaleza, mais precisamente em Messejana, na residência da irmã Lídia Assunção. Em setembro de 1945, ao falar em outras línguas, foi finalmente revestido com o poder de Deus. Iniciava ali a história do “apóstolo do Ceará”, como foi chamando pela geração de obreiros da década de 1960 em diante.

 

No início de sua carreira ministerial, foi “lapidado” pelo pastor José Teixeira Rego, que liderava a igreja na época. Foi ele quem o batizou em águas, consagrou ao presbitério em 1953 e depois ao nobre ofício de pastor, após cinco anos. Entre novembro de 1945 a setembro de 1958 foi supervisor da congregação situada no bairro Bela Vista, quando finalmente assumiu o pastorado da “igreja-mãe” no Ceará, localizada em Itapajé.

 

Em 7 de setembro de 1962, retornou a Fortaleza e chegou à presidência da Convenção, posto maior da Assembleia de Deus no Ceará, substituindo o pastor Armando Chaves Cohen. Por um período de 23 anos, dirigiu os destinos da igreja enfrentando turbulências e águas mansas. Quando o “barco” enfrentava qualquer problema, do “estaleiro celestial” vinha o material para o conserto, após pedir direção ao Senhor em oração seguida de ação, para com pulso firme continuar a viagem até o porto seguro. Para considerarmos Emiliano um homem a frente de seu tempo, basta espelharmo-nos na visão holística que tinha a respeito do crescimento da obra em seus dias, tais como:

 

1. Evangelização no rádio

 

Logo que assumiu a Convenção Estadual, sua primeira meta foi utilizar o rádio para anunciar as Boas Novas do Evangelho, através do programa “A Voz da Assembleia de Deus”, que ia ao ar pela rádio Dragão do Mar AM. Estávamos em 1962. A programação contava com o apoio do irmão Bezaliel Teixeira de Castro. No ano de 1964, o “A Voz da Assembleia de Deus” passou a ser liderado pelo pastor José Deusdedit Farias. Ao recordar-se daqueles dias, o pastor Raimundo Rebouças disse que em 1964, quando ingressou na equipe do programa, já encontrou o pastor Manoel Teófilo. Os pastores Emiliano Ferreira e Sebastião Mendes Pereira eram os pregadores oficiais. Com o uso de um gravador, eles produziam o áudio no Templo Central e enviavam a fita para a emissora de rádio, que transmitia a programação nas tardes de sábado.

 

2. Evangelização nas praças

 

Em julho de 1965, a Praça do Liceu do Ceará foi tomada por um “mar de gente”. Acontecia a primeira grande cruzada evangelística em Fortaleza, organizada pelo pastor Emiliano Ferreira da Costa. O mensageiro foi o pastor norte-americano Morris Cerullo. Na ocasião, muitas pessoas foram salvas e curadas pelo poder de Deus.

 

3. Evangelização transcultural

 

Em 1972, após seu retorno de Seul, na Coreia do Sul, compartilhou com a igreja o desejo de evangelizar uma nação. Ele pegou o mapa-múndi e de olhos fechados percorreu com o dedo indicador até parar em um ponto. Ao abrir os olhos, seu dedo indicador apontava para a Bolívia, país situado na América do Sul. Passados dois anos, o desejo foi realizado, ao enviar o pastor João de Castro e Silva, atual supervisor da congregação da Assembleia de Deus Canaã situada no bairro do São Cristóvão, na Grande Messejana.

 

4. Comemoração do Cinquentenário em Fortaleza

 

No ano de 1979, foi comemorado o cinquentenário da Assembleia de Deus em Fortaleza. As celebrações aconteceram nas principais congregações da Capital, como em Cachoeirinha, Bela Vista, Messejana e Mucuripe, com a presença da mesa diretora da Convenção Estadual. O LP (disco de vinil) que traz a voz do pastor Emiliano apresentando o histórico da denominação no estado ainda hoje é considerado o objeto de maior representatividade histórica para a celebração do cinquentenário.

 

5. Viagens ao exterior

 

Para ampliar seus conhecimentos, ele fez duas viagens ao exterior. A primeira foi para participar da 10ª Conferência Mundial Pentecostal, que aconteceu em Seul, na Coreia do Sul. Durante a viagem, que aconteceu entre os dias 13 de setembro a 16 de outubro de 1973, o pastor passou pelos seguintes países: Peru, Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul, Índia, Tailândia, Arábia Saudita, Suécia, Israel e Noruega. A segunda viagem foi para Londres, na Inglaterra, no ano de 1976.

 

6. Cargos na CGADB e títulos outorgados

 

Em 1975, participou do Conselho Consultivo das Boas Novas e em 1976, recebeu o título de Cidadão Fortalezense. De 1979 a 1983, juntamente com os pastores Rodrigo Silva Santana, Isaac Martins, João Batista e José Apolônio, fez parte da equipe que estava a frente da extensão da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) na Região Nordeste. No dia 26 de março de 1979, recebeu na cidade de Itapajé o título de Cidadão Itapajeense. O respeito que tinha entre os convencionais em todo o País fazia dele um escolhido para participar de comissões importantes. Além de hábil pregador, a sua maior emoção foi ler o Salmo 23 dentro do túmulo de Jesus em Jerusalém, na manhã do dia 27 de setembro de 1973.

 

Historiador Carlos Castro

 

Tags: , , ,

Category: Notícias

avatar

Sobre o Autor (Perfil do Autor)

Carlos Castro é Historiador, Artista Plastico e diretor do Portal JVD. Além de funcionário público também é presbítero da IEADTC em Messejana.

Deixe um Comentário

banner ad