Reportagem inédita aponta os quatro cearense mais importantes para a AD no Ceará

Adriano Nobre oficializou a Assembleia de Deus no Ceará
Adriano Nobre oficializou a Assembleia de Deus no Ceará

Heróis cearenses que participaram da formação do movimento pentecostal no Brasil

O termo pentecostal deriva-se da palavra Pentecostes. Entre os judeus, era a segunda das três grandes festas anuais a que todo o povo devia comparecer. Era chamada de Pentecostes porque era observada no quinquagésimo dia depois do segundo dia da Páscoa. A festa do Pentecostes era também conhecida como a festa das semanas, porque observava sete semanas depois da Páscoa, Dt 16: 9. Também se denominava festa das primícias, Êx 23: 16; Nm 28: 26. Os grupos pentecostais têm apresentado grande crescimento no Brasil, desde as presenças de Gunnar Vingren e Daniel Berg, fundadores da denominação no país, que irradiou-se a partir de Belém do Pará em novembro de 1910, alcançando o Ceará em 1914. Eles foram unânimes quanto às doutrinas cristãs básicas, tais como: pecado original, penas eternas, salvação pela fé, escatologia e santificação.

Todavia, é da bravura dos primeiros cearenses de destaque no cenário pentecostal brasileiro que quero apresentar neste artigo. Ora, se Mané Preto, Jacaré, Jerônimo e Tatá (todos jangadeiros), entraram para a historiografia cearense, por conduzirem uma jangada de pau de piúba, após navegarem cerca de 2.390 quilômetros e  serem recebidos pelo presidente Getúlio Vargas em 1941, no Rio de Janeiro, o que dizer dos nossos pioneiros, também cearenses, Adriano Nobre, Cordulino Bastos, Isidório Filho e Maria de Nazaré, que: foram perseguidos por causa do evangelho, passaram fome, foram presos, receberam pedradas e implantaram igrejas pentecostais a partir da década de 1920, tanto em Belém do Pará como no Ceará, Pernambuco e Natal e ainda  foram recebidos pelos Reis dos Reis e Senhor dos Senhores? Fica a critério do leitor o devido valor aos saudosos pregadores das Boas Novas.

Quem São eles e o que fizeram

Adriano de Almeida Nobre era natural de Pacatuba-CE e havia nascido em 1883. Foi o primeiro professor da língua inglesa de Daniel Berg e Gunnar Vingren, assumiu a AD de Belém do Pará entre 1915 e 1917, quando Gunnar viajou para Suécia e foi o quinto pastor consagrado no Brasil. Foi o fundador das Assembleias de Deus no Ceará, em 1914; Pernambuco, capital Recife em 1918 e em Rio Grande do Norte, também na capital em 1919. Foi o editor da primeira Harpa Cristã publicada em 1922, que continha 100 hinos e consta como autor da versão de quatro hinos (2, 3, 10 e 413). Em 1924, residindo no Rio de Janeiro convidaram-no para aceitar o pastorado da igreja, mas ele não aceitou, preferiu trabalhar na evangelização itinerante até que em 1938, vítima de tuberculose nosso pioneiro foi chamado para estar com Cristo, aos 55 anos de idade.

PIONEIRO ISIDORO
Isidoro Saldanha de Oliveira 1º pastor consagrado no Brasil

Isidoro Saldanha de Oliveira, conhecido como Isidoro Filho ou “Cabloco”, nasceu em 29 de novembro 1879, na Freguesia da Amarração (atualmente esse local fica entre as cidades de Crateús e Granja) na província do Ceará. Após migrar com toda família para a cidade de Soure , na Ilha de Marajó, ele sobreviveu inicialmente da pesca, utilizando a captura de peixes em curral, nas praias de pesqueiro e do mata-fome. Isidoro era alfabetizado, fez curso de guarda-livro, posteriormente reconhecido pelo governo brasileiro como a profissão de contabilista. Ele foi o primeiro crente das Assembleias de Deus no Brasil separado para o ministério pastoral pelo missionário Gunnar Vingren em 1912. O motivo de sua consagração foi para pastorear a igreja na cidade de Soure.

MARIA DE NAZARÉ
Itapajeense Maria de Nazaré

Maria de Jesus Nazaré Araújo, conhecida como a 2ª assembleiana batizada com o Espírito Santo no Brasil, foi ela quem trouxe as chamas pentecostais para o Estado do Ceará, em São Francisco de Uruburetama (atual Itapajé), seu torrão natal. Em Belém do Pará, em 1925 ela e vários irmãos que pertenciam a AD na cidade de Soure – Amazonas, foram presos quando pregavam o evangelho em um culto público. Outro feito importante da nossa pioneira foi falar em profecia para que o Ceará viesse viver uma das piores seca de sua história, há de 1915. Foi mais ou menos assim, conforme explica o missionário Gunnar Vingren: “É perto a destruição do mundo. A paz será tirada da terra. O mundo espera grande temor e horror e desfalecerá pelos os horrores (assim foi mais ou menos)”. Ela faleceu já idosa. O local onde residia era o “Lar dos Velhos” uma casa mantida pela Assembleia de Deus em Belém do Pará na década de 1960.

CORDULINO E SUA FILHA EM RORAIMA.
Itapajeense que foi residir em Roraima a partir de 1915


Cordulino Teixeira Bastos
, Natural da cidade de Itapajé-Ce, e nascido em 1849 na localidade de Fazenda Lagoinha, o irmão Curdulino recebeu em sua casa no dia 22 de junho de 1913 o pastor presbiteriano Manoel Francisco do Nascimento Machado, onde nasceu o primeiro contato com o protestantismo. Em julho de 1914 recebe a irmã Nazaré e toda sua família aderem o pentecostalismo, tendo uma sala de sua casa como o ponto de pregação do evangelho até 1928, data em que constrói-se o 1º templo da Assembleia de Deus no Ceará. Vale ressaltar que neste período a propriedade da Fazenda Lagoinha já estava sobre a responsabilidade do diácono Raimundo Ferreira Gomes, comprador da mesma em junho de 1915. O nome de Cordulino entrou para a história do Movimento Pentecostal como sendo o fundador da Assembleia de Deus em Roraima, onde faleceu em 1925 aos 77 anos.

Carlos Castro

Postado por: Carlos Castro

Comentários

*os comentários aqui apresentados não representam a opinião do Portal JVD

Deixe uma resposta