A história de Frida Vingren por Isael de Araújo

12814379_1748680255364176_5086871924593938482_nAbaixo, reprodução de um trecho com uma mensagem da missionária Frida Vingren às mulheres das Assembleias de Deus no Brasil que consta nos livros 100 mulheres que fizeram a história das Assembleias de Deus no Brasil e Frida Vingren – biografia:

Porém, cinco meses após a Convenção, foi publicado no Mensageiro da Paz, Ano I, Nº 3, de 1º de fevereiro de 1931, na página 3, um texto de autoria de Frida Vingren com o singular título: “Deus mobilizando suas tropas”. Parece que o texto tem um objetivo específico: incitar as assembleianas a não aceitarem passivamente a decisão da convenção. Ela, como as demais mulheres, fora proibida de falar, mas, no seu caso, não de escrever. Os grifos do texto estão no original, nada mais significativo do que Frida queria enfatizar:
Despertemo-nos, para attender ao chamado do Rei, alistando-nos nas suas fileiras. As irmãs das “assembleias de Deus” que egualmente, como os irmãos tem recebido o Espírito Santo, e, portanto, possuem a mesma responsabilidade de levar a mensagem aos pecadores precisam convencer-se de que podem fazer mais do que tratar dos deveres domésticos. Sim, podem também quando chamadas pelo Espírito Santo sahir e annunciar o evangelho. Em todas as partes do mundo, e especialmente no trabalho pentecostal, as irmãs tomam grande parte na evangelização. Na Suécia, paiz pequeno com cerca de 7 milhões de habitantes, existe um grande numero de irmãs (…) trabalhando exclusivamente no evangelho. Dirigem cultos, testificam e falam da palavra… (Os que estiveram na convenção em Natal e ouviram o Pastor Lewi Pethrus falar deste assumpto, sabem que é verdade.) Por qual razão, as irmãs brasileiras hão de ficar atrazadas? Será, que o campo não chega, ou que Deus não quer: Creio que não. Será falta de coragem? (…) As irmãs, convêm buscarem santificação e consagração, para que o Senhor as possa dirigir e abençoar. Não há tempo a perder. Jesus vem em breve. O Senhor diz: “A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Diremos nós: “Eis me aqui, envia-a me a mim”. Na “parada das tropas” a qual teve logar aqui no Rio, depois da revolução, tomou também parte, um batalhão de moças do Estado de Minas Geraes, as quaes se tinham alistado para a lucta. (mantida a grafia da época)

Missionária Frida Vingren, esposa do missionário Gunnar Vingren, fundador das Assembleias de Deus no Brasil, foi redatora-chefe do jornal Mensageiro da Paz, além de mãe de seis filhos, enfermeira, ensinadora da Palavra, pregadora, evangelista, dirigente de igreja, compositora de hinos, poetisa e musicista. Uma mulher à frente do seu tempo.

Se você deseja conhecer mais sobre Frida Vingren e sobre outras mulheres que realizaram trabalhos desconhecidos de nossa geração, acesse a livraria virtualwww.cpad.com.br ou ligue grátis 0800-021-7373 para adquirir os livros citados acima.

Historiador e pastor Isael de Araújo

 É diretor do CEMP – Centro de Pesquisa  de Estudo do Movimento Pentecostal
e autor de vários livro da CPAD
Carlos Castro

Postado por: Carlos Castro

Comentários

*os comentários aqui apresentados não representam a opinião do Portal JVD

Deixe uma resposta