Recordação de Infância – Poema de 1983 do historiador Carlos Castro

Foto de Kika Freitas
Foto de Kika Freitas

Meus pais chegaram em são luís do Curú (Ce) na década de 1930, se casaram na década de 1950 e eu nasci nesse cenário lindo no ano de 1961. O ofício de meu pai era construir tijolos no verão e no inverno, arrendar terras para plantação. Em 1983, com uma saudade enorme do meu lugar, passei a meditar na vida de minha infância e então nasceu este poema. A foto é de autoria de  Kika Freitas (Face Curu Jovem)

 

 

 

 

 

RECORDAÇÃO DE INFÂNCIA

Tenho recordações de meu Torrão Natal

Dos sonhos que vivi naquela estância

Das roseiras cultivadas no quintal

Dos amigos nos tempos de infância

 

Dos noturnos folguedos de artifícios

Das canções matinês lá da Matriz

Das histórias de temas fictícios

Das cartilhas que eu era aprendiz

 

Da farmácia, do mercado e da escola

Da árvore que plantei quando criança

Do campo (SWAT) que brincávamos de bola

Das pipas que ficaram nas lembranças

 

Das badaladas do sino na estação

Do trem que ao longe o apito se escutava

Das iguarias (bolos) que tecíamos nas mãos

Dos poucos tostões (cruzeiros) que se ganhava

 

Mas repouso me sempre eu teus portais

Relembrando travessuras de um menino (Carlos Castro)

Em um passado que se foi… Não volta mais

Me deixando na estrada outros destinos

 

Mesmo que viva feliz em outros sonhos

Não me esquecerei de ti Torrão Natal

Pois fizeste meu passado bem risonho

Mesmo vivendo uma lida tão bração.

 

 

Carlos Castro

Postado por: Carlos Castro

Comentários

*os comentários aqui apresentados não representam a opinião do Portal JVD

Deixe uma resposta