Nova Evidência Para o rei Davi?

Três mil anos de artefatos antigos em exposição em Jerusalém
Três mil anos de artefatos antigos em exposição em Jerusalém

Em os EUA, nada com menos de 100 é considerado antigo. Em Israel, nada menos do que dois mil anos de idade é apenas uma antiguidade. Agora, novas descobertas lançam nova luz sobre a vida durante o tempo do Rei Davi há 3000 anos.

Uma nova exposição chamada “No Vale de Davi e Golias” abre esta semana no Museu Terras Bíblicas, em Jerusalém. Ele oferece resultados de um sítio arqueológico chamado Khirbet Qeiyafa, no Vale do Ella que foi identificado como o local da batalha entre Davi e Golias. Ele inclui uma inscrição que pode ser a mais antiga escritura  hebraica descoberto na história.

Os achados foram datados de entre o final do século 11 aC, e no início do século 10 aC, o tempo que tem sido associado com o rei Davi. Os arqueólogos estão confiantes no tempo, como se usaram datação por carbono 14 em dezenas de caroços de azeitona antigos encontrados no local, que também estão em exposição.

Foto: Bible Lands Museum

A cidade só foi povoada por algumas décadas antes de ter sido destruída, e foi cercada por uma parede maciça e tem dois grandes portões – uma característica incomum para uma cidade tão pequena. A Bíblia menciona uma cidade chamada “Sha’arayim”, o que significa duas portas em hebraico, e é o local da batalha de Davi e Golias.

“Esta é uma exposição extremamente importante”, Amanda Weiss, diretora do Museu Terras da Bíblia em Jerusalém disse ao The Media Line, “O momento, as descobertas, e a localização da cidade são todos importantes.”

Há muito pouca evidência do bíblico rei Davi. Uma das poucas é uma pedra inscrita que foi originalmente colocada no portão da antiga cidade de Dan no Vale do Hula. A inscrição em aramaico, que está emprestado ao museu para esta exposição, refere-se ao reino de Judá como “Beit David”, que significa Casa de Davi.

A exposição está configurada para simular um passeio através do terreno real. Você entra através de duas grandes portas, que apontam em direção a Jerusalém, e um apontando para Philisita. Existe um modelo na escala de uma reconstrução das casas no local, bem como os caroços de azeitona, e ossos de animais.

“Eles comiam principalmente ovelhas e cabras, vacas e algumas aves,” Yehuda Kaplan, um dos curadores disse ao The Media Line. “Em Gat, uma cidade filistéia menos de dez milhas de distância, havia um monte de ossos de porco. Na verdade, uma nova pesquisa diz que os filisteus são os que introduziram porcos em nossa área da Europa “.

O fato de que os moradores da cidade não comerem carne de porco, não prova que eles eram judeus, Kaplan diz, porque cananeus não comem carne de porco.

Bible_Lands
Foto: Bible Lands Museum

As escavações foram realizadas entre 2007 e 2013 pelo arqueólogo sênior israelense Yosef Garfinkel, da Universidade Hebraica, em conjunto com a Universidade Adventista do Sul, do Tennessee. O Terras Bíblicas Museu abriga 200.000 visitantes por ano, incluindo estudantes israelenses e palestinos. Todas as explicações no site são em árabe, assim como o hebraico, e unidade de educação do museu produz materiais em árabe, bem como hebraico e Inglês.

“Eu quero que as pessoas passem a amar arqueologia”, disse o diretor do museu Weiss. “Nós podemos aprender muito sobre nós mesmos de nossa história.”

Fonte: The Media Line

Tradução: Jurandir Batista

Jurandir Batista

Postado por: Jurandir Batista

Administrador Técnico do Portal JVD.

Comentários

*os comentários aqui apresentados não representam a opinião do Portal JVD

Deixe uma resposta